Instituto Interamericano de Cooperación para la Agricultura | Resultados, nuestro compromiso

  •     Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura
  •   Resultados, nosso compromisso

Lutas camponesas contemporâneas : Condições, dilemas e conquistas

por Mancano Fernandes, B; Servolo de Medeiros L; Ignez Paulilo, M.
Tipo de material: materialTypeLabelLivroNúmero de Chamada: IICA E50-992 Lugar de publicação: Sao Paulo: Editora UNESP; NEAD, 2009Descrição: Vol I. 329 p.; Vol. II. 327 p.ISBN: 978-85-7139-948-8 / 978-85-60548-49-1.Outro título: Vol. I. O campesinato como sujeito político nas décadas de 1950 a 1980; Vol. II. A diversidade das formas das lutas no campo.Resumo: Vol. I: Apresentamos aos leitores – especialmente aos militantes camponeses, aos interessados e aos estudiosos da questão camponesa no Brasil – uma obra que é o resultado de um fantástico esforço intelectual e coletivo. A elaboração da História Social do Campesinato no Brasil envolveu grande número de estudiosos e pesquisadores dos mais variados pontos do país, num esforço conjunto, planejado e articulado, que resulta agora na publicação de dez volumes retratando parte da história, resistências, lutas, expressões, diversidades, utopias, teorias explicativas, enfi m, as várias faces e a trajetória histórica do campesinato brasileiro. A idéia de organizar uma História Social do Campesinato no Brasil afl orou no fi m de 2003, durante os estudos e os debates para a elaboração de estratégias de desenvolvimento do campesinato no Brasil que vinham sendo realizados desde meados desse ano por iniciativa do Movimento de Pequenos Agricultores (MPA), com envolvimento, em seguida, da Via Campesina Brasil, composta, além de pelo próprio MPA, pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), pelo Movimento de Atingidos por Barragens (MAB), pelo Movimento de Mulheres Camponesas (MMC), pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), pela Pastoral da Juventude Rural (PJR), pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi) e pela Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil (Feab). Vol. II: A coletânea Lutas camponesas contemporâneas: condições, dilemas e conquistas da História Social do Campesinato oferece compreensão mais ampla do mundo cultural, político, econômico e social em que o camponês produz e se reproduz. Neste segundo volume, quinze artigos mostram como as lutas camponesas nas diferentes regiões do Brasil se transformam em espaços de resistência e de luta contra a desterritorialização. Abordando conflitos desde a expulsão dos posseiros da Reserva Indígena de Nonoai, no Rio Grande do Sul, em maio de 1978, até o começo do século XXI, estes trabalhos partem de variada inspiração teórica e se valem de amplo contexto empírico concreto e dados etnográficos. Ampliando os horizontes possíveis para a análise, recuperam e atualizam leituras de algumas das formas de resistência e de recriação do campesinato. Discutem-se aqui questões como as implicações e a continuidade das desigualdades de gênero e a repressão sexual, a reforma agrária de mercado, as formas de organizações criadas no processo de luta, assim como as complexas redes e articulações existentes nos acampamentos e em outros espaços de resistência.

Download: por | por

Assunto(s): CAMPESINADO | ZONAS RURALES | AGROINDUSTRIA | CONDICIONES SOCIALES | CONDICIONES DE TRABAJO | GRUPOS SOCIALES | SINDICATOS | RIO GRANDE DEL SUR | PARANA | SAO PAULO | ACRE (BRASIL) | MINAS GERAIS | BRASIL | | | | | | | | | | | | | | PAYSANNERIE | ZONE RURALE | AGRO-INDUSTRIE | CONDITION SOCIALE | CONDITION DE TRAVAIL | GROUPE SOCIAL | SYNDICAT | TENENCIA DE LA TIERRA | LAND TENURE | TENURE FONCIERE | RIO GRANDE DO SUL | PARANA | SAO PAULO | ACRE (BRESIL) | MINAS GERAIS | BRESIL | BRASIL | CAMPONESES-BRASIL-HISTORIA | CONDIÃiES SOCIAIS | ATIVIDADES POLITICAS | POSSE DA TERRA | MOVIMENTOS SOCIAIS RURAIS-BRASIL-HISTÓRIA
Tipo de material Localização Coleção Número de chamada Status Data de devolução Código de barras
Documento digital Documento digital Colección IICA IICA E50 (Percorrer estante) Disponível CDBR17079107
IICA E50-992 v.II (Percorrer estante) Disponível
Documento digital Documento digital Colección IICA IICA E50-992 v.I (Percorrer estante) Disponível
Documento impreso Documento impreso Estantería Colección IICA IICA E50-992 (Percorrer estante) Disponível BVE3159300009125

Disponibles en la Biblioteca el Vol. I: O campesinato como sujeito político nas décadas de 1950 a 1980, y el Vol. II: A diversidade das formas das lutas no campo.

Vol. I: Apresentamos aos leitores – especialmente aos militantes camponeses, aos interessados e aos estudiosos da questão camponesa no Brasil – uma obra que é o resultado de um fantástico esforço intelectual e coletivo. A elaboração da História Social do Campesinato no Brasil envolveu grande número de estudiosos e pesquisadores dos mais variados pontos do país, num esforço conjunto, planejado e articulado, que resulta agora na publicação de dez volumes retratando parte da história, resistências, lutas, expressões, diversidades, utopias, teorias explicativas, enfi m, as várias faces e a trajetória histórica do campesinato brasileiro. A idéia de organizar uma História Social do Campesinato no Brasil afl orou no fi m de 2003, durante os estudos e os debates para a elaboração de estratégias de desenvolvimento do campesinato no Brasil que vinham sendo realizados desde meados desse ano por iniciativa do Movimento de Pequenos Agricultores (MPA), com envolvimento, em seguida, da Via Campesina Brasil, composta, além de pelo próprio MPA, pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), pelo Movimento de Atingidos por Barragens (MAB), pelo Movimento de Mulheres Camponesas (MMC), pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), pela Pastoral da Juventude Rural (PJR), pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi) e pela Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil (Feab). Vol. II: A coletânea Lutas camponesas contemporâneas: condições, dilemas e conquistas da História Social do Campesinato oferece compreensão mais ampla do mundo cultural, político, econômico e social em que o camponês produz e se reproduz. Neste segundo volume, quinze artigos mostram como as lutas camponesas nas diferentes regiões do Brasil se transformam em espaços de resistência e de luta contra a desterritorialização. Abordando conflitos desde a expulsão dos posseiros da Reserva Indígena de Nonoai, no Rio Grande do Sul, em maio de 1978, até o começo do século XXI, estes trabalhos partem de variada inspiração teórica e se valem de amplo contexto empírico concreto e dados etnográficos. Ampliando os horizontes possíveis para a análise, recuperam e atualizam leituras de algumas das formas de resistência e de recriação do campesinato. Discutem-se aqui questões como as implicações e a continuidade das desigualdades de gênero e a repressão sexual, a reforma agrária de mercado, as formas de organizações criadas no processo de luta, assim como as complexas redes e articulações existentes nos acampamentos e em outros espaços de resistência.

Não há comentários para este material.

Acesse sua conta para postar um comentário.

Clique em uma imagem para visualizá-la pelo image viewer